quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Mudança

"Change can be essential, but it should only be made with careful consideration and just cause. Losing can persuade you to change what doesn't need to be changed and winning can convince you everything is fine even if you are on the brink of disaster. If you are quick to blame faulty strategy and change it all the time, you really don't have any strategy at all. Only when the environment shifts radically should you consider a change in fundamentals."

Garry Kasparov em "How life imitates chess"

4 comentários:

Anónimo disse...

Interessante!!! Dupla interpretação?

Rita

Anónimo disse...

Pois ... dá para várias interpretações! Assunto a debater ;) Acho perturbador o número de exemplos que revelam a escassez de "mudanças cuidadosamente pensadas" e de "pensamento estratégico".
Mig

Eduardo disse...

Pois é, mas um dos problemas da globalização (agravada no nosso caso por uma União Europeia "demasiado democrática", com demasiados países a actuar de forma mais ou menos "independente") é que tornou mais difícil a estratégia; no entanto, no caso de Portugal o melhor lema será "Quem não tem dinheiro (... nem crédito) não tem vícios"... vai custar a adaptarmo-nos mas vamos conseguir ("as dificuldades aguçam o engenho")!

Antonio Luis disse...

Concordo com a frase de Kasparov. As mudanças envolvem sempre risco e por isso devem ser graduais. Em momentos de crise justificam-se mudanças mais radicais porque não há nada a perder ou as condições mudaram tanto que uma atitude conservadora é insustentável. No entanto, ajustes constantes são necessários em ambientes em mudança contínua. É muito conhecida a frase: Hoje demos um passo em frente, infelizmente, sem saber, estavamos perto do abismo. Muitas vezes estar na linha da frente pode ser uma desvantagem: por exemplo quando se atravessa um campo de minas - quem vai um pouco atrás tem tempo para corrigir...